Preview | Space Outlaw Alice – Quando Mega Man se encontra com Burai Fighter

Não é segredo para ninguém que a cena indie se tornou grande e os jogos de 8 e 16 bits são forte influencias, principalmente Mega Man e Castlevania: Symphony of the Night, que praticamente ditam o gênero no mercado atual. Neste cenário, a cena indie brasileira vem evoluindo com vários estúdios e títulos novos, com bastante potencial. E o novo concorrente é o Hissatsu Studios, com seu primeiro titulo: “Space Outlaw Alice”.

Previsto para sair por meio de financiamento coletivo ainda este ano, Space Outlaw Alice coloca o jogador no papel de Alice, uma fora da lei espacial lutando contra um governo terrestre corrupto com auxílio de sua tripulação, até que em dada missão monstros misteriosos começar a surgir ameaçando toda a vida humana. O jogo segue na pegada de Mega Man com elementos mais ligados aos clássicos 8-bits de NES e em algumas parte na famosa saga X, de SNES. Em controle de Alice, o jogador possui uma pistola de plasma e eventuais power-ups que vão sendo descobertos durante as fases.

O destaque do jogo fica por conta dos dois modos de jogo em cada estágio. Cada fase se divide em duas partes. Em uma avançamos de forma linear, derrotando inimigos até chegar ao chefe no fim do estágio – a la Mega Man. Em seguida, o jogador assume o controle do mecha da tripulação o Seraph, que proporciona um gameplay shoot’em up de nave com tela progressiva, como bem manda o gênero.

No controle de Seraph temos diferentes habilidades como um modelo de jogo diferente, se aproximando muito de um ótimo – e desconhecido – Burai Fighter. Diferente do primeiro modo de jogo, Seraph não possui power-ups duradouros, apenas power-ups temporários de estagio, como boosts de tiros múltiplos, tiros carregados e invocação de Options, criando uma dinâmica interessante.

Na direita Space Outlaw Alice no controle de Seraph e na esquerda o clássico Burai Fighter. Em ambos os jogos o desafio aumenta por conta de barreiras que surgem pelo caminho – e podendo esmagar o jogador contra a parede caso ele de bobeira.

O jogo esta totalmente em português e possui um visual estilizado como remetendo as limitações técnicas da era 8-bits, mas com sprites mais articulados e varias cutscenes com um visual de anime – apelativo para os gamers otakus. Os estágios possuem layouts similares aos da série Mega Man X, inclusive na ocultação de power-ups e upgrades escondidos atrás de barreiras que só podem ser quebradas com um determinado tipo de poder. Diferente de Mega Man, os poderes também se encontram escondidos pelos estágios e não adquirido após vencer o chefe. E por falar nos chefes, eles são bem legais de se enfrentar, principalmente no modus operandi. São difíceis para jogadores desacostumados com os jogos do genêro, possuindo vários ataques e táticas mesclando poderes com movimentos. Claro, eles podem ser dominados pelo jogador após algumas lutas. Isso formula um jogo desafiante sem ser abusivo. Além disso tudo, Space Outlaw Alice conta com uma ótima trilha sonora.

Space Outlaw Alice iniciou uma campanha de financiamento coletivo na Indiegogo e também conta com uma demo disponível para download. A demo conta com duas fases e 4 chefes, além de desenvolver um pouco da história plantando um mistério curioso ao chegar ao fim.


EXPECTATIVAS:

  • Ótimos chefes em 8-bits
  • Nível de dificuldade desafiante
  • Secretos pelos estágios
  • Cutscenes no maior estilo de anime

Compartilhe!

Post Author: O Critico

Aspirante a escritor, investidor e criador de gado. ​"Minha vida se resume a jogar tudo que existe de bom antes da morte..." Me procure no Alvanista http://alvanista.com/thecriticgames

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *